Geada provoca danos em lavouras da região

Geada atinge plantio de maracujá na região

Geada atinge plantio de maracujá na região

O final de semana frio, com temperaturas negativas em alguns municípios da região central, ocasionou perdas consideráveis em diversas lavouras que estavam a campo, principalmente, o trigo, que é a principal alternativa de cultura para o inverno. Tanto na madrugada do sábado, dia 6 de julho, como na segunda-feira, dia 8 de julho, os termômetros chegaram à marca de -1º C. Já no domingo, dia 7 de julho, a temperatura mais baixa foi de 0º C. Com três dias consecutivos de geadas, os trigais que estavam em fase de soltura de espiga e enchimento de grãos foram os mais afetados.

Fernando Soster, engenheiro agrônomo e chefe do departamento técnico da unidade da Coamo de Ivaiporã, estima que as perdas nas lavouras de trigo devem chegar a 60% da produção. Ele acredita que grande parte dos plantios que estavam nessa etapa de frutificação terá perdas praticamente totais. Cerca de 20% das lavouras terão perdas parciais e apenas aquelas áreas que foram plantadas no final do mês de maio e início de junho, não foram afetadas.

Ele explica que, nessa fase de preenchimento dos cachos, existe uma maior circulação de seiva pela planta. É a fase mais sensível à geada. Com o frio abaixo de 0º, ocorre o congelamento das canículas que levam a água das raízes até os grãos. Quando a temperatura esquenta, essa estrutura se rompe, impedindo a passagem da seiva para o restante da planta e a espiga morre.

Fernando Soster avalia lavoura de trigo afetada pela geada

Fernando Soster avalia lavoura de trigo afetada pela geada

Soster destaca que um diagnóstico mais preciso deve ser possível dentro de uma ou duas semanas, quando os danos às lavouras ficarão mais visíveis. No entanto, os produtores que têm seguro agrícola já podem iniciar a avaliação para solicitar o ressarcimento ou avaliar a dimensão da perda. A média de produção na região, que estava estimada em 120 sacas por alqueire, deve ficar em torno de 40 sacas ao final da colheita.

Milho

As áreas de milho foram poucas afetadas na região. A perda estimada é de 15% e atinge, principalmente, as lavouras que foram plantadas fora da época de zoneamento agrícola e, portanto, não estavam cobertas com seguro. Geralmente, o produtor já planta esse tipo de lavoura para a produção de silagem. No entanto, a maioria das lavouras direcionadas para a produção de grão do milho safrinha já estava em ponto de colheita.

Lavouras de frutas, como maracujá, e de hortaliças também registram perdas consideráveis. Com isso, os preços desses produtos devem subir nos próximos dias para o consumidor. As áreas de pastagens também foram afetadas pela geada e os produtores, que utilizam o pasto verde como fonte de alimentação, terão que procurar alternativas como feno ou silagem.

Área de milho é sapecada pelas temperaturas negativas

Área de milho é sapecada pelas temperaturas negativas

Comentários