Ferido em acidente em Lidianópolis continua internado em hospital em Arapongas

Vítima do acidente ainda continua internada em hospital de Arapongas

Vítima do acidente ainda continua internada em hospital de Arapongas

Diferente do que foi informado na matéria vinculada pelo jornal Paraná Centro na edição do dia 27 de março, o borracheiro Nelson José Evangelista, morador no distrito de Porto Ubá, em Lidianópolis, continua internado em estado grave, no Hospital João de Freitas, em Arapongas, desde o dia 21 de março, quando sofreu um grave acidente na rodovia PR-466 entre Porto Ubá e Lidianópolis. Na matéria, havia sido informado que os feridos haviam recebido alta do hospital em Ivaiporã, no dia seguinte ao acidente, no entanto, apenas Antonio Evangelista, irmão de Nelson, de fato teve alta. Nelson Evangelista foi, no mesmo dia do acidente, transferido de helicóptero pelo Samu para Arapongas.

O morador de Porto Ubá estava em um veículo Ford Fiesta, com placas de São José dos Pinhais, que era conduzido pelo seu irmão, e foi atingido por um ônibus que fazia o transporte escolar do município.

Segundo familiares, Nelson Evangelista ficou por 17 dias internado na UTI do hospital, entre a vida e a morte, já que teve múltiplas fraturas no rosto, perda total nos dentes e ainda fraturas no joelho e em outras partes do corpo. Na terça-feira, dia 9 de abril, ele teve alta da UTI, mas continua internado, já que terá que passar por mais duas cirurgias no joelho.

A esposa Rosana comenta que em função da perda completa dos dentes, ele está tendo que se alimentar apenas de líquidos e não pode ingerir nada sólido por pelo menos 30 dias. Em função disso, ele já perdeu mais de 15 quilos e ainda não existe previsão de alta. Ela comenta ainda que seu cunhado, irmão de Nelson Evangelista, informou que, no dia do acidente, em nenhum momento saiu de sua faixa de direção antes do choque e que trafegava a menos de 80 km/h. “Ele disse que se estivesse um pouco mais rápido, certamente os dois teriam morrido quando foram atingidos pelo ônibus”, afirma.

Comentários