Venda de ovos de chocolate deve ter aumento de até 12%

Procura por chocolates deve crescer às vésperas da Páscoa. Por: Antonello Nadal

Procura por chocolates deve crescer às vésperas da Páscoa

Fonte: Antonello Nadal

Muitos consumidores esperam se aproximar mais da Sexta-Feira Santa para adquirir ovos de Páscoa e chocolates. Quem deixar as compras para a véspera da Páscoa pode ter que enfrentar filas ou não encontrar o produto desejado.

Na loja do centro do Paraná Supermercados, o gerente Rodrigo Schenk assegurou que existe uma expectativa de crescimento de vendas entre 8 e 12% em relação ao mesmo período do ano passado.

Conforme o gerente, apesar de nesse ano a Páscoa ser comemorada mais próxima do final do mês, as vendas dos produtos como ovos, chocolates e até cestas de Páscoa estão surpreendendo positivamente, já que o preço dos ovos não teve aumento em comparação ao ano passado. “O preço dos ovos não teve alteração em relação ao ano passado. O que aconteceu foi que as empresas distribuidoras diminuíram a variedade de marcas de chocolates, ou seja, estão trabalhando com as marcas já tradicionais, sem apresentar novidades para o consumidor. As indústrias apostam muito no público infantil e acredito que, por esse motivo, o tradicional ovo de Páscoa nunca sai de moda”, explicou Rodrigo Schenk.

Embora não apresente grandes novidades, o setor de barras de chocolate, caixas de bombom e os espaços destinados a ovos de chocolate são um delicioso atrativo para os clientes que querem saborear chocolates na Páscoa. “Estamos parcelando toda a linha de chocolates em até 6 vezes no cartão. O cliente encontrará bons preços e qualidade garantida”, completou o gerente.

No supermercado é possível encontrar ovos de Páscoa que podem variar de R$ 12,90 até R$ 80,00, conforme a marca e o tamanho do produto. Por isso, a professora Marli Sagioneti, que estava acompanhada dos dois filhos, disse que procura fazer uma pesquisa de preços para que as compras não pesem no bolso. “É importante pesquisar e buscar produtos em promoção para poder balancear qualidade e preço sem que isso fique caro”, afirmou a professora.

Comentários