Emater distribui mudas de erva-mate para produtores da região

Imagem da notícia.

A Emater, em parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), e com o apoio das prefeituras de Boa Ventura do São Roque, Palmital, Pitanga e Santa Maria do Oeste, por meio do projeto Erva-Mate, realizou, recentemente, a entrega de 29 mil mudas da árvore para pequenos rurais desses municípios.

Segundo a engenheira florestal da Emater, Vivian Rank Kerninski, a iniciativa visa incentivar os agricultores familiares, que trabalham com a espécie, a difundir tecnologia através da instalação de unidades de referência (URs), implantadas junto aos grupos de agricultores, que servem para a obtenção de resultados de referência para o projeto. O município de Pitanga conta com duas unidades instaladas, na comunidade Barro Preto, em parceria com o agricultor Paulo Gilberto dos Santos Lima, e na comunidade Patrimônio dos Cajos, com o apoio do agricultor Alceu Pereira.

Nas próximas semanas também serão instaladas unidades de referência em Boa Ventura de São Roque, Palmital e Santa Maria do Oeste. “O cultivo da erva-mate representa uma relevante fonte de renda dos produtores rurais na região e o desenvolvimento da cultura depende, dentre outros aspectos, do atendimento de critérios, cada vez mais exigidos pelos consumidores, de qualidade, competitividade e sustentabilidade”, afirma Vivian Kerninski.

Para a engenheira florestal, os grupos de trabalho compreendem agricultores, estudantes, entidades públicas e privadas, com objetivos comuns e comprometidos com uma proposta técnica orientada, na qual os conhecimentos e experiências possam ser compartilhados. “Os incentivos governamentais tendem a instigar a melhor organização da cadeia produtiva e, para isto, as parcerias são indispensáveis para a continuidade de crescimento e estabilidade do setor, desde o produtor familiar até as indústrias”, cita.

Nova lei

Com o propósito de estimular a produção sustentável da erva-mate no país, aumentando o padrão de qualidade e o desenvolvimento tecnológico agrícola e industrial do produto, já está em vigor a Política Nacional da Erva-Mate (Lei 13.791/19). Entre os instrumentos da nova lei, estão a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico; o crédito oficial para produção, industrialização e comercialização; as certificações de origem, social e de qualidade dos produtos e a assistência técnica e extensão rural, especialmente para os agricultores familiares, pequenos e médios produtores rurais. “A erva-mate ainda é o principal produto florestal fora do segmento madeireiro, entretanto, diante de grandes transformações sociais e de introduções de novos ciclos econômicos, o cultivo se reformula para continuar nos campos paranaenses, com novos usos e canais de comercialização”, relata a engenheira florestal.

Comentários