2ª etapa de formação do programa Escola da Terra é realizada em Pitanga

Evento reúne educadores no Centro de Eventos do Lago. Por: Zélia Gzegoski

Evento reúne educadores no Centro de Eventos do Lago

Fonte: Zélia Gzegoski

A Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Pitanga realizou, nos dias 27 e 28 de fevereiro e 1º de março, no Centro de Eventos do Lago, a 2ª etapa de formação do programa Escola da Terra, contando com as presenças do secretário de Educação, Alfredo Chavaren; professora do curso interdisciplinar do campo Ciências Sociais e Humanas e coordenadora do programa Escola da Terra, Ana Cristina Hammel; presidente da Câmara de Vereadores de Pitanga, Eloy de Lurdes Ottoni Pauloski; Lúcia Dziubat, representando a chefe do NRE de Pitanga, Ângela Brandalise; e secretário geral, Marcelo Romero, representando o prefeito Maicol Barbosa.

O evento, com carga horária de 30 horas e com participação de educadores dos municípios de Pitanga, Boa Ventura de São Roque, Formosa e Clevelândia, teve como objetivo promover a melhoria das condições de acesso, permanência e aprendizagem dos estudantes do campo e quilombolas em suas comunidades, por meio do apoio à formação de professores que atuam nas turmas dos anos iniciais do ensino fundamental, compostas por estudantes de variadas idades, e em escolas de comunidades quilombolas, fortalecendo a escola como espaço de vivência social e cultural.

A coordenadora do programa Escola da Terra, Ana Cristina Hammel, destacou que o desafio do programa Escola da Terra é avançar e pensar na realidade do processo educativo das escolas dos municípios da região. “Muitas vezes, essa escola não está no campo, mas ela recebe o estudante que está no campo. Essa formação reforça o compromisso que temos com a educação e estamos priorizando, enquanto gestão, a formação continuada. A escola tem uma grande responsabilidade na formação desses jovens”, disse a coordenadora.

O secretário de Educação, Alfredo Chavaren, comentou que o programa Escola da Terra é referência em educação e pediu a implantação de políticas públicas para que escolas não sejam fechadas. “Se não nos posicionarmos, mais escolas do campo vão fechar. Os alunos precisam se sentir motivados a permanecer no campo”, pontuou.

A presidente da Câmara de Vereadores, Eloy Ottoni, disse que é de fundamental importância para os municípios da região a valorização da educação voltada para o homem do campo. “O apoio dos órgãos públicos é fundamental para que isso aconteça, precisamos sim de políticas públicas para manter essa população no interior dos municípios, para que não haja necessidade de vir para a área urbana procurar empregos, sem formação”, reforçou.

O secretário geral Marcelo Romero parabenizou os participantes e frisou a importância dos alunos da zona rural permanecerem nas escolas do campo.

Compõem o programa Escola da Terra os professores Ana Cristina Hammel, Roberto Antonio Finatto, Maria Isabel Farias e Anelize.

Comentários