Cozinha comunitária servirá refeições acessíveis em Mato Rico

Famílias poderão se alimentar a baixo custo. Por: Divulgação

Famílias poderão se alimentar a baixo custo

Fonte: Divulgação

A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento inaugurou, na semana passada, em Mato Rico, a primeira cozinha comunitária de uma série de nove que estão sendo implantadas no interior do Estado. Foram investidos R$ 82 mil na construção e equipamentos desta unidade, com capacidade inicial para fornecer cerca de 200 refeições diárias a preços acessíveis. O atendimento é direcionado principalmente à população dos segmentos mais vulneráveis.

Além dos recursos do Governo do Estado, houve contrapartida de R$ 147,6 mil, do município e da Cooperativa Agropecuária Matoriquense (Coamar), que se responsabilizaram pela construção da cozinha. A Seab investiu nos equipamentos, como mobiliários, utensílios e equipamentos de proteção individual.

O objetivo do empreendimento é facilitar o acesso a uma alimentação saudável, diversificada e econômica, estimular hábitos alimentares saudáveis e promover a educação alimentar e nutricional, com produção e comercialização de refeições saudáveis.

Entre os requisitos dessa iniciativa está a compra de produtos da agricultura familiar. Em Mato Rico, a aquisição de alimentos será em parceria com a Coamar, sediada no município.

Para o secretário da pasta, Norberto Ortigara, o investimento em restaurantes populares e em cozinhas comunitárias visa fortalecer o mercado da agricultura familiar e ampliar a oferta de alimentos saudáveis à população mais vulnerável. “Temos entre nossas metas garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) em nosso Estado”, disse.

Segundo o prefeito de Mato Rico, Marcel Mendes dos Santos, no município 75% da população da cidade vivem na área rural. Mais da metade é vulnerável nos aspectos social e econômico e, com frequência, essas pessoas se deslocam ao centro urbano para atividades comerciais e bancárias, capacitação, atendimento de saúde, entre outros.

Devido ao reduzido poder aquisitivo dessa população, torna-se difícil ter uma alimentação adequada nos restaurantes particulares. “Agora temos um local adequado para essa população se alimentar”, destaca o prefeito.

Para famílias em situação de risco de desnutrição o custo é de R$ 2,00. Elas precisam ser cadastradas no Centro de Referência de Assistência Social (Cras). Atualmente, são 45 famílias com direito à refeição desse valor.

As famílias cadastradas no Bolsa Família, com uma renda estabelecida, pagam R$ 4,00 por refeição. A cozinha comunitária estará aberta também para atender o público em geral, desde que seja comprovadamente morador do município. Nesse caso, o valor será R$ 6,00.

As refeições serão compostas de arroz, feijão, verduras, legumes, um tipo de carne (bovina, suína, frango ou peixe), além de frutas, sobremesa e suco natural. Todos os produtos serão fornecidos pelos agricultores familiares da região.

Comentários