Árbitro assistente de Jardim Alegre estreia na 1ª divisão do Campeonato Paranaense

Bruno Rohling (último à direita) faz estreia na 1ª divisão do campeonato estadual. Por: Divulgação

Bruno Rohling (último à direita) faz estreia na 1ª divisão do campeonato estadual

Fonte: Divulgação

O árbitro assistente de Jardim Alegre, Bruno Fernando Rohling, realizou um sonho antigo e fez a estreia na elite do Campeonato Paranaense de Futebol, ao trabalhar na partida em que o Maringá Futebol Clube venceu o Futebol Clube Cascavel por 2x1, pela última rodada do 1º turno – Taça Barcímio Sicupira – no domingo, 10 de fevereiro, no Estádio Willie Davids, em Maringá.

A estreia na 1ª divisão foi cheia de emoção para o árbitro assistente de 24 anos, que trabalhou com o árbitro Osvaldo Massafera (Pato Branco); assistente 1, Andrey Luiz de Freitas (Santa Tereza do Oeste); e quarto árbitro, Rodrigo Aparecido Pereira (Mandaguari). “Quando a grande oportunidade que você tanto esperava de estrear em uma partida da Primeira Divisão do Estado finalmente chega, passa um filme na cabeça de todos os obstáculos que você venceu para chegar até esse dia. Orgulho-me de representar minha cidade, familiares e amigos que torcem por mim”, revelou.

Cursando o último ano de educação física, Bruno Rohling, formou-se no curso de arbitragem da Federação Paranaense de Futebol em 2014 e, no ano seguinte, começou a atuar em competições pelo Estado.

Mas foi no ano passado que Bruno Rohling, que também é filiado à Associação Paranaense de Árbitros de Futebol (APAF), decolou na arbitragem após estrear no profissional no dia 18 de fevereiro, na partida entre Rolândia Esporte Clube e Associação Portuguesa Londrinense, válida pela 2ª divisão do Campeonato Paranaense de Futebol. “Atuei em 18 partidas no ano passado, sendo um jogo da 2ª divisão, dois jogos da 3ª e os demais todos na base”, afirmou o árbitro assistente.

Após chegar à elite do futebol paranaense, Bruno Rohling quer conquistar objetivos ainda maiores na arbitragem. “Meu próximo objetivo é a cada dia subir outros degraus na arbitragem, alcançando mais escalas no estadual e mais a frente chegar à CBF e FIFA, que é o sonho de todo árbitro de futebol e o ápice da arbitragem”, concluiu Bruno Rohling.

Comentários