Doutor “Faz-Tudo” responde a ação por erro médico em Nova Tebas

Paciente alega erro médico

Paciente alega erro médico

O médico Paulo Marcelino Andreoli Gonçalves ficou conhecido em todo o Brasil como o “Doutor Faz-Tudo”, conforme denúncia divulgada pelo Fantástico da Rede Globo de Televisão, no dia 20 de janeiro de 2019.

A dona de casa Malze Tereza Bertoti Schmoeller, ex-moradora de Nova Tebas, move ação contra o médico. Segundo informações, no dia 23 de abril de 2014, ela procurou o Hospital Municipal de Nova Tebas, se queixando de dores na região do abdômen. Segundo a paciente, na ocasião, foi informada pelo médico que precisaria fazer uma cirurgia para retirada do útero. Porém, após o término da cirurgia, ao perguntarem ao médico como foi o procedimento, este informou que “havia feito tudo”. Só neste momento, os familiares e a paciente tomaram conhecimento da retirada de outros órgãos, como ovários, trompas e, inclusive, a realização de uma plástica em sua barriga. Após receber alta, seu estado clínico piorou, devido a fortes dores e incontinência urinaria. A paciente procurou outro médico e passou por uma bateria de exames, e descobriu que sua bexiga havia sido perfurada.

Procurada pela nossa reportagem, a advogada Juliane Alves Torres Melo, que representa a paciente, informou que a dona de casa Malze Tereza procurou seu escritório, bastante debilitada. “Ela nos contou o que tinha acontecido e que tinha passado por procedimento cirúrgico, com o médico Paulo Marcelino Andreoli Gonçalves, e que estava sentindo muito desconforto em função de uma incontinência urinária. A nossa orientação foi que ela deveria procurar outro médico especialista, para ver o que estava acontecendo. Foi o que ela fez e, após uma bateria de exames, foi constatado que a paciente estava com a bexiga perfurada”, afirmou a advogada.

Juliane Melo representa paciente em ação na Justiça

Juliane Melo representa paciente em ação na Justiça

A ação contra o médico foi ajuizada na Vara da Fazenda Pública, da Comarca de Manoel Ribas, no dia 21 de novembro de 2014 e, inclusive, já ocorreu a audiência de instrução, que está em fase final para sentença. Malze Tereza atualmente reside na cidade de Arapuã e está bastante traumatizada com o fato.

Repercussão Nacional

O médico, que é residente na cidade de Campina da Lagoa, atualmente trabalhava em Guaíra, onde foi acusado, por 33 pacientes, que sofreram complicações após procedimento cirúrgico feito por ele. Segundo a reportagem exibida pelo Fantástico, 3 pacientes morreram em decorrência dessas complicações. O médico disse à reportagem que não tinha conhecimento de todos esses casos e que se uma investigação apontasse sua responsabilidade, ele responderia civil e criminalmente por eles.

Na manhã do sábado, dia 26 de janeiro, o médico foi preso na cidade de Campina da Lagoa, em função de um mandado de prisão que estava em aberto. No entanto, por volta das 22h30, ele foi liberado por um habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça do Paraná.

Sobre o caso da paciente de Nova Tebas, o Paraná Centro entrou em contato com o escritório de advocacia Saraiva, da cidade de Campina da Lagoa, que representa o médico Paulo Marcelino Gonçalves. Por meio de nota, eles informaram que em relação aos fatos indagados, a juíza da Vara da Fazenda Pública de Manoel Ribas nomeou um médico perito para a realização de uma perícia, com o objetivo de comprovar, ou não, as alegações da paciente. “Após proceder-se com a perícia, bem como pela análise de toda a documentação médica juntada no processo, o laudo médico oficial concluiu que o diagnóstico e o procedimento cirúrgico realizado pelo Dr. Paulo Marcelino foram corretos para o tratamento da patologia apresentada pela paciente”, finalizam a nota os advogados Nilson Saraiva dos Santos e Diego Fernandes Saraiva.

Comentários