Presidente da Coamo destaca aumento na produção mundial da soja

Aroldo Galassini conversa com cooperados em Pitanga

Aroldo Galassini conversa com cooperados em Pitanga

O presidente da Coamo, Aroldo Galassini, esteve na sexta-feira, dia 25 de janeiro, participando da reunião de campo da diretoria, relativa ao primeiro semestre do ano, na Arcam de Pitanga. Cerca de 200 cooperados e convidados de Pitanga, Boa Ventura do São Roque, Santa Maria do Oeste e Palmital, entre eles o prefeito de Pitanga, Maicol Barbosa, e o secretário municipal de Agricultura, Juliano César Lipovieski, acompanharam a explanação do presidente da cooperativa.

Em entrevista coletiva, Galassini comentou que a reunião teve como foco a apresentação dos números da cooperativa relativos ao ano de 2018, como balanço e volume de sobras a ser distribuído entre os cooperados. Além disso, também foram apresentados dados sobre o volume de comercialização, estoques mundiais de soja, milho e trigo e informações sobre mercado. “Mostramos a média dos preços do ano passado e repassamos todas as informações, para que os cooperados possam fazer uma análise completa do cenário e, com isso, tomar a melhor decisão possível sobre o momento de comercializar”, disse o presidente da Coamo.

A orientação da diretoria da Coamo é que o cooperado faça o levantamento do seu custo de produção e realize a comercialização em várias etapas. “A especulação em cima do preço pode fazer com que o cooperado perca dinheiro”, destaca o presidente da cooperativa.

Sobre a estiagem no início do plantio, Galassini comenta que ainda é cedo para uma previsão sobre quebra de safra. Ele ressalta que a previsão inicial da Coamo era receber 81 milhões de toneladas de grãos e que a previsão agora é de 75 milhões de toneladas. Para ele, o principal prejuízo ocorrerá na região oeste, especialmente nas áreas de terras arenosas.

Com relação o início do governo Bolsonaro, o presidente da Coamo reafirmou o posicionamento apolítico da cooperativa e disse que torce apenas para que o presidente faça um bom governo. Em relação ao conflito comercial entre a China e os Estados Unidos, o presidente da Coamo avalia que, até o momento, o Brasil tem levado vantagem nessa guerra comercial, principalmente, porque a China aumentou o volume de compras junto ao Brasil, já que reduziu o volume de soja comprado dos Estados Unidos. “De agora para frente eu não sei, porque uma hora a China vai precisar negociar com os Estados Unidos e isso deve influir muito na questão do preço”, ressalta o presidente da cooperativa.

No entanto, a maior preocupação expressada pelo presidente da Coamo é o aumento nos volumes de estoques da soja em todo o mundo. Ele destaca que, hoje, já existe um equilíbrio entre a produção e o consumo mundial do grão e que é preciso ter uma atenção para que a oferta não seja muito maior que a demanda.

O gerente da unidade da Coamo em Pitanga, Valdemir de Paula Barbosa, o Miro, comenta que os cooperados das unidades participantes da reunião são bastante cooperativistas e sempre estão procurando o conhecimento para conseguir produzir mais e melhor. “O Dr. Aroldo Galassini é uma referência mundial do agronegócio e, por isso, todas as informações que ele repassar são importantes para os cooperados”, disse o gerente da Coamo de Pitanga.

Valdemir de Paula Barbosa gerente da Coamo unidade de Pitanga

Valdemir de Paula Barbosa gerente da Coamo unidade de Pitanga

Comentários