Primeira escola de Pitanga

O Grupo Escolar Capitão Francisco Monteiro Tourinho passou a se chamar Escola Estadual Tiradentes, em 1983

O Grupo Escolar Capitão Francisco Monteiro Tourinho passou a se chamar Escola Estadual Tiradentes, em 1983

Em 6 de março de 1935, Arlindo Ribeiro, prefeito de Guarapuava, conforme anotado por Benjamin Cardoso Teixeira (Efemérides Guarapuavanas, p. 48), contratou aluguel de uma sala de casa residencial de Generoso Walter para instalação da primeira escola de ensino básico que ali funcionaria, dirigida pela professora Ondina Marcondes de Melo.

Ondina Marcondes de Melo, neta do desbravador José Martins de Oliveira Melo (conhecido por Jeca Batista), fundador do povoado de Rio Batista, e Pedro Leal de Souza (conhecido por Pedrinho Mestre), foram os primeiros professores do ensino básico de Pitanga. Pedrinho Mestre, no começo, dava aulas na capela de Nossa Senhora Santana, que no ano de 1923 foi destruída por um incêndio durante os combates entre os colonos e índios caingangues.

Poucos anos depois, em 1941, as aulas do ensino público primário passaram a ser ministradas no grupo escolar, que no início funcionava em uma casa de madeira, na quadra entre as atuais ruas Duque de Caxias e Interventor Manoel Ribas, doada pelos pioneiros Paulo Pschek, Pedro Sebrenski, Nicolau Schon e Generoso Walter. Mais tarde, durante o governo de Moysés Lupion e administração do primeiro prefeito eleito de Pitanga, Nicolau Schon, foi construído o atual prédio de alvenaria, do Grupo Escolar Capitão Francisco Monteiro Tourinho. Nicolau Schon foi prefeito de Pitanga entre os anos de 1947-1950.

Foi fundadora deste estabelecimento e sua diretora durante muitos anos a competente e emérita professora Olympia Amaral Gruber, formada pela Escola Normal de Curitiba, esposa do benquisto cidadão Alcides Gruber que viera para Pitanga com sua família em 25 de abril de 1941, quando nomeado para o cargo de Chefe do Posto Fiscal do município de Guarapuava pelo prefeito Mário Pimentel Camargo. Como pessoa íntegra que era, Alcides Gruber chegou a exercer outros cargos em Pitanga, como os de subdelegado de polícia, escrivão e até mesmo prefeito interino (1947).

Comentários