Pitanga em história

O povoamento da região de Pitanga foi desencadeado a partir do ano de 1770, por expedições de conquista sob ordens do Tenente-Coronel Afonso Botelho de Sampaio e Souza, comandante da Praça de Paranaguá.

Por volta de 1918, o local já oferecia casas comerciais, além de serviços como ferreiros, carpinteiros, marceneiros, pois a vila era localizada as margens da estrada que interligava a região central do Paraná ao estado do Mato Grosso do Sul. Por esta razão, até um posto policial já existia nesta época.

Em meados da década de 1920, foi criada uma lei que privava os índios de algumas terras no Paraná. Os jornais da época faziam apologia para a extinção do aldeamento São Jerônimo, cujas terras foram disputadas pelos importantes políticos paranaenses e fazendeiros. A liberação de terras indígenas a políticos locais reduziu suas reservas e contribuiu para os conflitos entre índios e colonos na Serra da Pitanga.

Por decreto nº 294 de 17 de abril de 1923, os índios perderam as terras na margem direita do Rio Ivaí, em favor dos colonos, e os índios foram obrigados a ir para a margem esquerda do rio, o que causou grande revolta na comunidade indígena. Desta maneira, 150 índios Kaigangs atacaram Pitanga, dançando na Igreja que depois foi incendiada. Este ataque resultou na morte de um casal de moradores.

Em 1940, Pitanga já tinha aproximadamente 13.000 habitantes, entre estes, muitos descendentes de europeus, pois vários colonizadores vieram de países como a Ucrânia, França, Polônia, Itália e Alemanha. Isso é verificado na atualidade, quando há uma diversidade cultural muita grande, com danças, músicas, arquiteturas e alimentação típicas de cada grupo.

O município de Pitanga, cujo território foi no passado conhecido como Serra da Pitanga, foi criado e instalado nos anos de 1943 e 1944, respectivamente, quando compreendia a vasta região sertaneja situada entre os rios Piquirí, Bonito e Ivaí.

Prefeitos de Pitanga

Abílio Antunes Rodrigues (1944-1945)

Nicolau Schon (1947-1950)

Dr. Manoel Rodrigues (1945-1946-1950-1951)

Dr. Orlando de Araújo Costa (1951-1955)

José Grande (1955-1959)

Francisco Cavali da Costa (1959-1963)

Reinaldo Petrechen (1963-1969)

Dirceu Diogo Portugal (1969-1973)

Reinaldo Petrechen (1973-1977)

João Gonçalves Padilha (1997-1979)

Dr. Otacílio C. Bittencourt (1979-1983)

Antonio Neri Kocemba (1983-1988)

Dr. Otacilio Conceição Bittencourt (1989-1992)

Altair José Zampier (1993-1996)

Alexandre Carlos Buchmann (1997-2000)

José Osny Schon (2001-2004)

Alexandre Carlos Buchmann (2005-2008)

Altair José Zampier 2009 – 2012

Altair José Zampier 2013 – 2016

Maicol Geison Callegari Barbosa 2017 – 2020

Comentários