IBGE aponta crescimento do PIB regional em 10,9%

Expectativa é que obra de pavimentação até Mato Rico aqueça ainda mais economia da cidade

Expectativa é que obra de pavimentação até Mato Rico aqueça ainda mais economia da cidade

Recentemente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os dados referentes ao PIB Municipal, referente ao ano de 2016. A pesquisa avalia todo o volume de riqueza gerado pelos setores da agropecuária, indústria, serviços, que inclui o comércio, além dos recursos ligados à administração pública, provenientes dos repasses obrigatórios federais e estaduais, além dos impostos que são gerados pelo próprio município.

Em comparação com o ano de 2015, o PIB cresceu 10,9% no ano de referência da pesquisa e os 32 municípios da região central acumularam um produto interno bruto de R$ 7,8 bilhões no período. O município com o maior valor é Pitanga, que teve um crescimento em 2016 de 16,4% e totalizou R$ 815,9 milhões. Na sequência vem Ivaiporã, com R$ 708,2 milhões e crescimento na ordem de 7,14%; e depois Reserva, com PIB de R$ 566,6 milhões e crescimento de 7,62%.

O maior valor per capita, ou seja, a divisão da riqueza pelo número de moradores é Ariranha do Ivaí, com renda por pessoa de R$ 33,95 mil ao ano, em comparação com o período anterior; o crescimento foi de 5,96% na renda per capita. Roncador aparece em segundo lugar, com renda por habitante na ordem de R$ 33,90 mil ao ano, crescimento de 12,9% em comparação com 2015; e Cruzmaltina, com renda de R$ 30,5 mil, uma queda de 2,7%.

Com relação ao crescimento percentual, o destaque ficou por conta do município de Mato Rico, que em 2016 teve um crescimento de 47,5% no PIB, que saiu de R$ 51,5 milhões para 75,9 milhões. Depois os maiores crescimentos percentuais ficaram por conta de Boa Ventura do São Roque, com cerca de 30,2% de crescimento e chegando a um PIB de R$ 202 milhões; e Nova Tebas, que em 2016 obteve um crescimento de 22,4% e para um Produto Interno Bruto de R$ 125 milhões.

Apenas duas cidades tiveram queda no valor do PIB em comparação ao ano anterior. Cruzmaltina acumulou um decréscimo de 3,2% e Godoy Moreira que caiu 2,12%.

Enquanto a região central teve um crescimento no PIB de quase 11%, o mesmo índice no Brasil caiu 3,6%. Isso se deve ao fato que a crise econômica demorou um pouco mais para se apresentar na região, em função dos bons números acumulados pela agropecuária.

Ivaiporã

Em Ivaiporã, o destaque fica por conta do setor de comércio e serviços, que, atualmente, representa 57,7% de toda a riqueza produzida no município. Em toda a região, o comércio e a prestação de serviços de Ivaiporã têm a maior participação em relação ao total do PIB municipal.

Em Pitanga, a agropecuária tem o maior valor agregado em todos os municípios da região, com valor total de R$ 217,6 milhões, que representa 33,9% do PIB municipal. Já o setor industrial tem sua maior contribuição para o PIB municipal nas cidades de Mauá da Serra e São Pedro do Ivaí. Em Mauá da Serra, o setor da indústria contribuiu com 20% do PIB total e em São Pedro do Ivaí, a transformação representa 19,18%.

Para o prefeito de Mato Rico, Marcel Jayre Mendes dos Santos, a notícia desse crescimento do PIB foi recebida com alegria, principalmente, porque confirma em números o que já é notado no município, como a ampliação dos investimentos da população, que tem segurança para buscar melhorias na produção agropecuária, no comércio e na prestação de serviço. “Além disso, percebemos que a população tem prestigiado o comércio local”, ressalta. Para ele, esse crescimento do município também vem sendo apontado em outros indicadores, com os números da Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) e na melhoria da condição de renda da população e isso tem feito uma grande diferença no município. “A nossa expectativa é ainda maior com a construção da ligação asfáltica entre Mato Rico e Pitanga e que vai possibilitar um crescimento ainda maior da nossa cidade”, ressalta o prefeito de Mato Rico.

Imagem da notícia.

Comentários