Acica começa a implantar o Projeto Empreender em Cândido de Abreu

Autoridades posam para foto na abertura dos trabalhos do Empreender

Autoridades posam para foto na abertura dos trabalhos do Empreender

A Associação Comercial e Empresarial de Cândido de Abreu (Acica) está desenvolvendo o Projeto Empreender, em parceria com a Faciap (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná). Na sexta-feira, dia 26, no polo da UAB de Cândido de Abreu, foram realizadas duas reuniões para apresentar o projeto e buscar a formação de núcleos setoriais no município. Durante o dia, a reunião foi com os membros da Coopercandi, que reúne cerca de 200 associados, principalmente agricultores familiares e pequenos produtores; a cooperativa atende pelo menos 10 municípios. À noite, a reunião foi realizada com representantes de indústrias de cerâmicas do município.

A presidente da entidade comercial, Elaine Mikiewicz, comenta que o intuito do trabalho é ajudar na forma organizacional, planejamento e colaborar com o desenvolvimento das empresas. Já o trabalho com os ceramistas vem de encontro a um projeto desenvolvido pelo comitê gestor da lei geral da micro e pequena empresa, sala do empreendedor e Faciap, com o objetivo de contribuir com o sistema organizacional e tudo o que mais eles necessitam. “Hoje, se formos analisar os que geram empregos e trazem recursos para o nosso município, são a prefeitura, as cerâmicas e os agricultores; e precisamos fortalecer esses dois últimos setores, que trazem o que o município precisa, que é progresso e que dinheiro circule no nosso comércio”, ressalta a presidente da Acica.

Para organizar o trabalho, o grupo contou com a consultoria do representante da Faciap, Flávio Moretti, que destacou o trabalho da associação comercial em identificar as principais necessidades do município e, por meio do Empreender, trabalhar esses projetos para fomentar e estimular a economia, com um planejamento estratégico, e que vai estruturar o trabalho durante um determinado período.

Moretti explica que são várias as ações que podem ser feitas por meio dos núcleos setoriais, que é uma parte do Empreender; nelas podem ser desenvolvidas ações conjuntas para melhoria dos processos, missões técnicas e acesso a novas tecnologias. “Além disso, é possível envolver as empresas para participar de editais e até mesmo buscar a abertura de novos mercados e, com isso, fortalecer esse setor da economia”, comenta.

Com a maturidade do núcleo setorial é possível a realização de compras coletivas, onde os empresários conseguem um maior poder de negociação com os fornecedores, que inclusive resulta em menores preços ao consumidor. “Podemos realizar esse trabalho com outros setores, como, por exemplo, minimercados e mercearias”, ressalta.

Com relação ao setor de ceramista, a proposta inicial ao grupo é trabalhar a melhoria dos processos de produção e também a questão do preço final ao consumidor. Flávio Moretti identificou que algumas empresas estão trabalhando com o preço defasado e que a intenção do trabalho com o Empreender é justamente ajudar na formação desse preço de venda. “Muitas vezes, o empresário tem o pensamento que, oferecendo um valor mais em conta, ele está ganhando, mas no final das contas ele acaba tendo prejuízo”, ressalta o consultor.

Empresários e profissionais conhecem benefícios do Empreender

Empresários e profissionais conhecem benefícios do Empreender