Agricultores iniciam plantio de soja

Plantio de soja deve ganhar velocidade nos próximos dias

Plantio de soja deve ganhar velocidade nos próximos dias

Com a trégua nas chuvas que ocorreram nas últimas duas semanas, os produtores devem intensificar o plantio de soja nos próximos dias. A expectativa é de uma grande safra do principal produto agrícola da região central. Segundo o engenheiro agrônomo da Coamo de Ivaiporã, Fernando Soster, a janela de plantio vai até o dia 15 de novembro, no entanto, as chuvas que ocorreram de forma constante nos últimos 20 dias dificultaram para os produtores, que haviam planejado fazer o plantio de forma antecipada, prevendo também a safra de milho safrinha, dentro da janela de zoneamento agrícola, como alternativa de lavoura para o inverno.

O agrônomo explica que, na maioria das regiões, a data limite para o plantio de milho safrinha é 20 de fevereiro, quem plantar a soja a partir de agora não consegue colher até essa data e, por isso, quem plantar milho após essa data não pode recorrer ao seguro agrícola e financiamento para essa lavoura.

A Coamo calcula que cerca de 10% das áreas já foram plantadas. No ano passado, nessa mesma época, a área plantada chegava a 40% do total.

No entanto, para o plantio de soja, não existe preocupação com o atraso. Segundo Soster, a janela é bastante longa e o clima nos próximos dias deve possibilitar um plantio em condições adequadas de umidade do solo. Como sempre, o produtor da região de Ivaiporã está investindo em fertilidade de solo e tecnologias, como sementes e defensivos, para atingir a maior produtividade possível. A assistência técnica, no entanto, destaca alguns cuidados que os produtores precisam ter com as lavouras; a primeira é a realização de uma boa dessecação, especialmente com ervas de difícil controle como buva e capim amargoso. “Caso haja necessidade, é importante que o produtor solicite a presença de um agrônomo para observar se o processo de dessecação foi bem feito”, comenta o agrônomo.

Outro cuidado a ser tomado é com relação à velocidade de plantio, Soster destaca que existe uma série de estudos que mostra que quanto maior a velocidade do equipamento, pior é a distribuição de sementes e a formação da lavoura fica ruim.

O gerente da unidade da Coamo de Ivaiporã, Domingos Carlos Fontana, afirma que as melhores condições para que o produtor fizesse o travamento dos custos, ou seja, fechasse contratos, visando garantir a remuneração para o pagamento dos custos, já ocorreu. Ele destaca que, nesse ano, foram fechados contratos entre R$ 78,30 e R$ 80. “Hoje, o mercado está parado em função do recuo do preço do dólar”, salienta. Ele avalia que o investidor olha para o Brasil, nesse momento de eleição, e percebe que existe uma oferta maior de dólar no mercado e isso tem derrubado os preços do câmbio. Fontana destaca que muitos produtores aproveitaram os bons momentos e travaram seus custos de produção. “Hoje em dia, o produtor tem que acompanhar o mercado, mas principalmente trabalhar em cima do seu custo de produção, para que ele possa realizar boas vendas e obter o lucro em cima disso”, comenta.

Comentários