Técnicos da Emater recebem capacitação sobre plantio de soja

Técnicos da Emater participam de treinamento sobre cultura da soja. Por: Antonello Nadal

Técnicos da Emater participam de treinamento sobre cultura da soja

Fonte: Antonello Nadal

O escritório de Ivaiporã da Emater (Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural) realizou na sexta-feira, 5 de outubro, uma capacitação com técnicos das unidades municipais da região administrativa de Ivaiporã, compreendendo 12 municípios, visando o plantio de soja da safra 2018/2019, em parceria com secretarias municipais de agricultura e cooperativas da região.

O engenheiro agrônomo e coordenador regional de produção da Emater de Ivaiporã, Pablo Sanches Rodrigues, destacou que o treinamento da equipe abrange o Manejo Integrado de Pragas (MIP). “A equipe de engenheiros agrônomos da Emater vai a campo com os produtores rurais avaliar a incidência de pragas que podem acontecer e o nível de dano econômico para fazer as intervenções necessárias para o controle do problema”, explicou o coordenador, lembrando que as visitas nas propriedades rurais serão semanais.

Também foi discutido o Manejo Integrado de Doenças (MID), para que a partir do plantio da soja, seja feito um trabalho de acompanhamento e monitoramento da incidência de doenças fúngicas, bacterianas e de virose, com destaque para a ferrugem asiática, que tem comprometido a safra dos anos anteriores. “São colocadas lâminas para depois serem identificadas no microscópio para que possamos identificar a doença no momento em que ela aparecer na lavoura e, assim, controlar adequadamente sem gastar muito fungicida para eliminar os esporos da ferrugem asiática, que traz perdas significativas para a lavoura de soja”, completou Pablo Rodrigues.

O engenheiro agrônomo frisou que, a partir deste mês de outubro, os técnicos da Emater também vão acompanhar o plantio das lavouras de soja com inoculação para que se tenha um maior rendimento das lavouras, tendo em vista que a inoculação proporciona um benefício de microorganismos de solo que são industrializados, onde o produtor faz o tratamento em sementes e os agrônomos deixam de utilizar grandes quantidades de nitrogênio sintético. “Nesse caso, há um redução no uso de fertilizantes e ao mesmo tempo aumento na produtividade”, completou.

Comentários