Coamo Ivaiporã realiza Dia de Campo de lavouras de inverno

Produtores acompanham explicações técnicas sobre trigo

Produtores acompanham explicações técnicas sobre trigo

A unidade da Coamo de Ivaiporã realizou, na semana passada, um dia de campo de trigo, onde foram apresentadas novas variedades que estarão disponíveis para a próxima safra. Foram 14 cultivares plantados, sendo 6 inéditos. Além disso, o dia de campo apresentou palestras sobre as ferramentas que a Coamo disponibiliza para os produtores, que é o Gestor Rural e o Fideliza Coamo, além de apresentar uma nova tecnologia para inoculação de sementes de trigo.

O engenheiro agrônomo, Fernando Soster, salientou que algumas variedades são promissoras e comentou que o clima foi bem complicado para as lavouras de trigo. Uma longa estiagem de quase 60 dias quase comprometeu as lavouras. E a organização do evento reconsiderou a possibilidade de fazer o dia de campo. “Mas nos surpreendeu ver que as variedades suportaram bem a condição de clima e, por isso, resolver manter o dia de campo, para que o agricultor também possa se definir por alguma dessas variedades”, comenta.

Ele ressalta que, apesar da estiagem, haverá uma boa produção; que não será o que era esperado, mas vai possibilitar que o produtor cubra os custos, desde que os preços se mantenham como estão atualmente. “A maior parte das lavouras acabou se desenvolvendo de forma parecida e isso deve concentrar a colheita em um período bastante curto; a expectativa é para que não ocorram chuvas na colheita, mas a cooperativa está preparada para dar fluxo ao recebimento do trigo”, comenta.

O pesquisador e melhorista da Embrapa, Manoel Carlos Bassoi, comenta que, apesar dos problemas de clima da atual safra, o desenvolvimento das lavouras foi satisfatório e que a média da produção pode ficar na faixa de 120 sacas por alqueire. Para ele, houve um avanço importante nas novas variedades de trigo, que cada vez são mais resistentes à seca e a alguns tipos de doenças. “A produção de trigo é de risco e, por isso, a pesquisa trabalha para que as variedades sejam mais resistentes e tenham o objetivo de reduzir custos”, comenta.

Para o gerente da unidade de Coamo de Ivaiporã, Domingos Fontana, o objetivo desses dias de campo promovidos pela Coamo é justamente levar informações para que o produtor possa tomar a melhor decisão. Ele comenta que o trigo é uma cultura que o produtor precisa investir de forma correta e com um trabalho mais adequado para a sua realidade. “Com as informações que recebe, ele consegue tomar a decisão correta e acertar na escolha da variedade, do fertilizante e do manejo adequado de cada doença”, frisa.

Ele lembra que, apesar dos problemas enfrentados na atual safra, ainda é mais vantajoso o produtor investir na lavoura de trigo, do que deixar a terra sem nenhum tipo de cultivo. Pois, no futuro, ele enfrentará problemas para a dessecação para a cultura de verão, como a soja e o milho. “O clima ruim foi igual para todos, mas temos produtores que irão colher 80 sacas por alqueire e outros que vão colher 130 sacas”, ressalta.

Domingos Fontana e Fernando Soster

Domingos Fontana e Fernando Soster

Comentários