Saúde inicia capacitação de mil profissionais no curso técnico em enfermagem

Cerca de mil agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias de 21 regionais do Paraná participaram nesta segunda-feira (20) da aula inaugural do Curso Técnico em Enfermagem, ofertado pela Secretaria de Estado da Saúde, de forma presencial ou por videoconferência. O primeiro encontro abordou os desafios e as características do técnico de enfermagem.

O secretário estadual da Saúde, Antônio Carlos Nardi, ressaltou a importância do aprendizado constante e da qualificação profissional. “A eficácia do atendimento à saúde passa primordialmente pela instrução das equipes. E este é o objetivo do curso. Oferecer aprimoramento, atualizar e estruturar os profissionais da saúde para que continuem atendendo a população com resolutividade e excelência”.

A diretora da Escola de Saúde Pública do Paraná, onde acontece o curso, Ana Lúcia Fonseca, reforça as ações do Centro Formador de Recursos Humanos, vinculado à ESPP, que há 64 anos auxilia na capacitação dos profissionais da área. “O centro mostra uma tradição no ensino técnico e profissional, principalmente na metodologia utilizada e nas salas de aula descentralizadas”, explica a diretora.

Ela acrescenta que o curso conta com uma estrutura diferenciada de orientação que segue as diretrizes da Política de Recursos Humanos do Sistema Único de Saúde.

NA PRÁTICA – Os encontros serão na modalidade presencial, com 25 turmas descentralizadas, com cerca de 40 profissionais cada. Ao final, serão 1,8 mil horas de aula, 1,2 mil delas teóricas e 600 com atividades práticas.

O curso é dividido três módulos, com a duração de dois anos. Nos dois primeiros módulos, o agente recebe formação e qualificação como auxiliar de enfermagem e, no terceiro, formação profissional como técnico. O aluno só terá direito à certificação como técnico em enfermagem se for aprovado nos três módulos que compõem o curso.

As disciplinas serão ministradas com os temas saúde coletiva; enfermagem em saúde mental; relações humanas, ética e bioética; enfermagem cirúrgica; saúde do idoso; urgência e emergência; cuidados a pacientes em estado grave; saúde da mulher e educação em saúde.

O chefe da Divisão de Educação Profissional da Escola de Saúde Pública do Paraná, Aldiney Doreto, explica que mesmo sendo um curso sobre enfermagem, o agente da saúde não atuará como técnico. “Os alunos inscritos continuam sendo agentes comunitários de saúde ou agentes de combate às endemias. O curso vem para somar conhecimento à formação do profissional e oferecer outra oportunidade no mercado, caso o agente opte por fazer concurso ou trabalhar como técnico de enfermagem”, orienta.

OPORTUNIDADE – Zenira Mendes Betin é agente comunitária de saúde há 12 anos disse que adora a profissão, mas que sempre quis ser enfermeira. “Nunca tive condições nem a oportunidade de voltar a estudar”. Quando soube do curso oferecido pela Escola de Saúde, Zenira fez sua inscrição confiante que seria chamada. Ao participar da aula inaugural, a agente comunitária do município de Araucária ficou empolgada com a metodologia e com as matérias oferecidas.

“Nunca participei de uma aula por videoconferência. Estou muito feliz, esperei por muito tempo e finalmente posso ir atrás do meu sonho. Acho importante este incentivo do Estado, vai ser uma experiência única. Quero dar 100% do meu potencial e tenho certeza que serei recompensada”, destaca.

Aldiney complementa que o Curso Técnico de Enfermagem fortalece a rede de atenção primária e oferece novas perspectivas profissionais. “No final da formação os agentes, além de conhecerem novas ferramentas, estarão mais qualificados para entender os processos e a atuação direta do seu trabalho na saúde da população”, termina o chefe da Divisão.

Comentários