Moradores reclamam de falta de água em distrito de Rio Branco do Ivaí

Moradores convivem com problema crônico de falta de água no Porto Espanhol. Por: Divulgação

Moradores convivem com problema crônico de falta de água no Porto Espanhol

Fonte: Divulgação

Moradores do distrito de Porto Espanhol, no município de Rio Branco do Ivaí, reclamam da falta de água que afeta o bairro constantemente desde 2012. Eles relatam que o problema começou com a falta de manutenção na chave que ligava a bomba pra mandar água para as casas.

Para driblar o problema que tira o sono da comunidade há alguns anos, e poder realizar atividades rotineiras como tomar banho, lavar roupa e cozinhar, os moradores precisam recorrer a alternativas como buscar água nas casas de vizinhos que tem caixa d’água, poço artesiano ou ainda buscar água nas minas e rios existentes na localidade.

Segundo relatos, o abastecimento acontece periodicamente por meio de caminhões pipa da Sanepar, mas a situação se agravou nos últimos dias, porque a bomba que abastece o poço artesiano queimou pela 3ª vez e os moradores temem que o local fique desabastecido de água potável. Por conta disso, a comunidade fez um abaixo-assinado e protocolou um ofício, por meio do vereador Fabrício Sanches Petrelli, que foi entregue para a promotora de justiça da comarca de Grandes Rios, Luciana Tofano Chuvalski, solicitando ao Ministério Público que cobre providências do prefeito de Rio Branco do Ivaí, Gerôncio Carneiro Rosa. De acordo com o ofício, o município recebe um único caminhão de água por dia, o que não supre a demanda da comunidade que reside no distrito de Porto Espanhol.

Ao Paraná Centro, a Sanepar informou que o sistema de abastecimento de água pertence ao município de Rio Branco do Ivaí, mas que tem dado suporte à prefeitura com um caminhão de 15 mil litros de água por dia, sendo que a capacidade do reservatório é de 10 mil litros de água. “É um problema crônico que existe no distrito de Porto Espanhol, mas a Sanepar tem procurado colaborar com a prefeitura sem cobrar pela água fornecida, cumprindo assim o papel social da empresa”, garantiu o gerente regional da Sanepar em Ivaiporã, Gilberto Taborda.

A ex-vereadora Édina Negri, moradora da localidade há vários anos, disse que a situação chegou ao limite extremo. “Não aguentamos mais essa situação de calamidade pública, onde idosos com problemas de saúde têm que subir em barrancos para buscar água em rios, sem contar que essa água não é tratada e pode causar doenças”, contou Edina Negri.

A moradora afirma que o problema permanece mesmo depois de constantes reclamações feitas na prefeitura. “O prefeito nos disse que recebeu uma verba do governo para fazer um novo poço artesiano daqui a 3 meses, mas não podemos esperar por essa solução”, relatou, cobrando providências imediatas por parte da prefeitura.

Comentários