Merenda escolar em Lidianópolis utiliza maioria dos produtos da agricultura familiar

A nutricionista Cátia Semchechem e a diretora Daniela Talarico mostram uva servida a alunos

A nutricionista Cátia Semchechem e a diretora Daniela Talarico mostram uva servida a alunos

O cuidado com a qualidade da alimentação dos alunos tem sido uma das marcas da gestão do Departamento Municipal de Educação de Lidianópolis. Utilizando recursos do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento Educacional) e com boa parceria com os agricultores familiares, o município tem conseguido fornecer produtos de qualidade para seus alunos. Treze produtores familiares de Lidianópolis são fornecedores fixos, que entregam os alimentos semanalmente, conforme o cronograma elaborado pelo Departamento de Educação; os produtos são definidos conforme a safra.

Cátia Semchechem e Daniela Talarico acompanham entrega de alimentos

Cátia Semchechem e Daniela Talarico acompanham entrega de alimentos

A nutricionista Cátia Cibele Semchechem comenta que, no final do ano, realiza uma reunião com os produtores interessados em fornecer alimentos para a merenda escolar. Ela explica que, nessa reunião, é feito um pré-cadastro de acordo com os produtos que esses agricultores têm disponível e é elaborado um esboço do cronograma da safra. No início do ano é aberto um chamamento público e os agricultores apresentam a documentação e, depois de selecionados, o cronograma de entrega é realizado conforme o clima e o cardápio montado para cada escola. Pela lei do Pnae (Programa Nacional de Alimentação Escolar), no mínimo 30% dos recursos repassados pelo Governo Federal têm que ser utilizados com produtos da agricultura familiar. Com isso, devem ser fornecidas três porções semanais de verduras, legumes e frutas. Mas pela variedade conseguida em Lidianópolis, o município consegue fornecer frutas frescas ou suco natural 5 vezes por semana e verduras e legumes pelo menos 4 vezes na semana. Com isso, no ano passado, Lidianópolis investiu mais de 40% dos recursos do Pnae, na aquisição de produtos da agricultura familiar e, nesse ano, a expectativa é que sejam investidos cerca de 80% dos recursos na compra desses produtos.

Merendeiras atestam qualidade dos produtos

Merendeiras atestam qualidade dos produtos

Catia Semchechem destaca a qualidade dos produtos, que também tem sido muito boa, e como a maioria dos produtores utiliza poucos agroquímicos, frutas e verduras são até mais saudáveis. São pelo menos 28 produtos da agricultura familiar, como alface, brócolis, couve, tomate, pepino, repolho e frutas, como banana, morango, uva, goiaba, maracujá e laranja, entre outros, fornecidos, ao longo do ano, aos alunos da rede municipal de educação.

Aos alunos da Educação Infantil, que ficam o dia todo nos CMEIs, são fornecidas cinco refeições diárias e, nas escolas, para os alunos que ficam meio período, são fornecidas duas refeições: um lanche assim que chegam do transporte escolar e a refeição na hora do recreio. “A aceitação dos alunos tem sido muito boa por todos os produtos da agricultura familiar e sabemos que, para muitos deles, essa é a refeição principal do dia; e, com o aluno bem alimentado, o desenvolvimento educacional dos pequenos é bem melhor”, comenta a nutricionista.

Crianças recebem alimentos frescos direto da agricultura familiar

Crianças recebem alimentos frescos direto da agricultura familiar

Ela destaca que essa compra só é possível em função do apoio do município, que também coloca recursos próprios para complementar a compra da agricultura familiar.

A diretora de Educação, Daniela Talarico, explica que o Governo Federal destinou cerca de R$ 45 mil para a compra da merenda durante todo o ano, no entanto, o município acrescentou mais de R$ 100 mil e investiu cerca de R$ 154 mil na aquisição dos alimentos para os alunos da rede municipal. “Com isso, conseguimos oportunizar vários tipos de alimentos para as crianças, com um cardápio bem balanceado, em que eles têm a oportunidade de experimentar outros tipos de alimentos, com um cardápio diferenciado”, comenta a diretora.

Segundo Daniela, para o ano de 2019, o objetivo é investir 100% dos recursos do Governo Federal na compra de produtos da agricultura familiar. “Com isso, valorizamos o produtor do município, fazendo com que esses recursos circulem aqui, fortalecendo a economia local”, finaliza.

Variedade de podutos possibilita um cárdapio diferenciado

Variedade de podutos possibilita um cárdapio diferenciado

Comentários