Polícia Civil conclui inquérito sobre a morte de seis motociclistas na PR-082

Delegado Gustavo Dante afirma que motorista vai responder por homicídio culposo e lesão corporal. Por: Antonello Nadal

Delegado Gustavo Dante afirma que motorista vai responder por homicídio culposo e lesão corporal

Fonte: Antonello Nadal

O delegado Gustavo Dante, chefe da 54ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Ivaiporã, anunciou na sexta-feira, 8 de junho, a conclusão do inquérito sobre a morte de seis motociclistas no dia 9 de maio, na PR-082, em Jardim Alegre. O inquérito de 261 páginas foi enviado para o Poder Judiciário analisá-lo.

Com base no laudo pericial, que apontou que as motos, onde estavam as vítimas, foram atingidas pelo caminhão que estava em alta velocidade e invadiu a pista contrária durante uma ultrapassagem em local proibido, Gustavo Dante informou que o motorista do caminhão, Odorico da Silva, 69 anos, foi indiciado por homicídio culposo no trânsito, com base no artigo 302 da lei 9503/97, que é praticar homicídio na direção de veículo automotor. “Ele vai responder pelos seis homicídios e mais quatro lesões corporais, com base no artigo 303 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Se condenado, o motorista vai responder pelo homicídio culposo com a pena majorada, uma vez que ele teve uma conduta imprudente ao ultrapassar em faixa contínua, que gerou vários resultados. Indiciamos o motorista porque entendemos que ele deu causa ao acidente por ultrapassar em local proibido”, explicou o delegado.

Gustavo Dante classificou como sem fundamento o pedido do presidente da subseção de Ivaiporã da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Luiz Henrique Branco, para que o motorista do caminhão fosse indiciado por homicídio doloso. “Entendo que se trata de um homicídio culposo e não de dolo eventual, e estou fundamentado na legislação, doutrina e jurisprudência. O caminhoneiro não assumiu o risco de produzir o resultado e jamais quis que aquele resultado ocorresse, embora ele tenha sido imprudente pelo excesso de velocidade e por ultrapassar em local proibido”, comentou Gustavo Dante.

Sobre um eventual pedido de prisão do caminhoneiro, o delegado afirmou que ele não tem fundamento legal para isso no momento, até que o caso seja julgado, mesmo porque Odorico da Silva colaborou com as investigações. “É prematuro e descabido falar em prisão do caminhoneiro. Possivelmente, o Ministério Público vai oferecer denúncia e a partir do momento em que o MP oferecer uma ação penal, o réu vai se defender dos fatos narrados no inquérito que está bastante robusto”, completou o delegado.

Na noite do acidente, um grupo de motociclistas de Ivaiporã se dirigia para São João do Ivaí. Com a colisão, morreram no local Felipe Roger Mendonça, 26 anos e a esposa dele, Aline Gomes de Oliveira, 22 anos; Matheus Sathler Ramos, 20 anos; Felipe Dias dos Santos, 25 anos; Renan Cesar Silveira Basniack, de 19 anos; e Juan Pablo Nogueira, 19 anos. Outras duas pessoas ficaram feridas.

Comentários