Sete detentos já foram recapturados pela Polícia Militar de Ivaiporã

Cadeia Pública de Ivaiporã vive situação caótica após mais uma fuga de presos. Por: Antonello Nadal

Cadeia Pública de Ivaiporã vive situação caótica após mais uma fuga de presos

Fonte: Antonello Nadal

A Polícia Militar de Ivaiporã já recapturou 7 dos 8 fugitivos da cadeia pública da 54ª Delegacia Regional de Ivaiporã (54ª DRP). As duas últimas prisões ocorreram na tarde de domingo, 8 de abril, no Jardim Alvorada, quando por meio de denúncia anônima, a PM localizou Lucas Daniel de Lima, 19 anos, e Claudinei Coelho Bacane, 29 anos.

A princípio, a 54ª DRP havia divulgado, equivocadamente, a lista com o nome 10 presos fugitivos, no entanto, foram oito. Na primeira lista constava o nome do detento, Rafael Patrício Souza Silva, 20 anos, que não fugiu, e de Danilo Fernandes Alves da Silva, 29 anos, que já havia recebido o alvará de soltura.

Segundo o delegado Gustavo Dante, as buscas continuam no intuito de localizar Varlei dos Santos Carvalho, 30 anos, único foragido ainda em liberdade. “Agora só falta um, por isso, peço o apoio e colaboração da população para que qualquer informação que leve ao paradeiro desse preso informe a Polícia Civil ou a Polícia Militar”, assinalou o delegado.

Os primeiros elementos a serem recapturados foram Lucas Elias de Brito, 20 anos; Rodrigo Rodrigues Bonfim, 31 anos; e Tafarel Lucas Ferreira, 20 anos. Eles estavam nas proximidades da Colônia da Prefeitura, no Jardim Guanabara, enquanto Josmar Prestes, 39 anos, que também foi recapturado na quarta-feira, 4 de abril, mesmo dia da fuga, estava próximo ao Bosque da Saúde. Já na manhã de quinta-feira, 5 de abril, a polícia localizou Bruno Aparecido da Silva, 20 anos, no distrito da Barra Preta, em Jardim Alegre.

Na quinta-feira, 5 de abril, agentes da Seção de Operações Especiais (SOE) de Londrina fizeram a recontagem dos presos e a varredura na cadeia pública de Ivaiporã. Os detentos foram retirados das celas pelos agentes do SOE e encaminhados ao solário, para que fosse realizada a recontagem, o serviço de concretagem do túnel de mais de 10 metros de extensão que os presos cavaram para a fuga e ainda a revista de objetos ilícitos dentro da carceragem.

O delegado Gustavo Dante informou que as tentativas de fuga não são mais novidade na cadeia de Ivaiporã, uma vez que o local foi projetado para uma capacidade máxima de 40 presos, mas no momento da fuga contava com 182 detentos. “Só não ocorreu uma fuga em massa devido ao trabalho das polícias Civil e Militar, contendo a fuga rapidamente com alguns disparos, que causaram temor à população. A estrutura do prédio, que foi construído em 1976, é deficitária, e nós não temos como entrar constantemente no interior da carceragem. Ficamos um período sem que houvesse fuga, mas isso não quer dizer que haja segurança, uma vez que ocorreu. A cadeia de Ivaiporã é um barril de pólvora e a situação está caótica”, desabafou o delegado.

Gustavo Dante disse que um inquérito será instaurado e os fugitivos serão indiciados por dano ao patrimônio público. “Eles serão responsabilizados criminalmente pelo dano ao patrimônio público. Posteriormente, será imputada a eles uma falta grave pela fuga e não terão direito a progressão de regime”, completou Gustavo Dante.

Comentários