Quase todas as linhas do transporte escolar estão regularizadas em Pitanga

Alfredo Schavaren explica paralisação no transporte escolar

Alfredo Schavaren explica paralisação no transporte escolar

Segundo o secretário municipal de Educação de Pitanga, Alfredo Schavaren, quase todas as linhas terceirizadas do transporte escolar estão regularizadas. Das 79 linhas que eram executadas pela Pitranscopi (Cooperativa de Transporte Escolar de Pitanga), 75 delas já estavam com seus serviços regularizados, na terça-feira, dia 10 de abril.

Ele também anunciou que, na sexta-feira, dia 13, será realizada uma vistoria coletiva de todos os veículos que realizam o transporte escolar em Pitanga e aqueles que não atenderem às normas terão que ser substituídos. Schavaren acredita que, até essa data, todas as linhas já terão voltado a funcionar normalmente. A nova licitação do transporte escolar de Pitanga está marcada para a segunda-feira, dia 16 de abril.

Na quarta-feira, dia 4, o serviço de transporte escolar efetuado pela cooperativa foi paralisado, em função do encerramento do contrato de prestação de serviço. Foram afetadas 89 linhas.

Schavaren comentou que foram apresentadas duas propostas de aditivo ao contrato para a cooperativa. A primeira solicitava uma prorrogação por 30 dias, já que um novo processo de licitação está em tramitação na prefeitura. A cooperativa informou, por meio de ofício, que aceitaria a prorrogação até o final do ano, desde que fosse realizado um reequilíbrio financeiro, com aumento de R$ 0,50 por quilômetro, para todas as linhas operadas por ela.

O secretário de Educação relatou que esse aumento traria um impacto de R$ 500 mil nas despesas da prefeitura, que não estava previsto no orçamento. A Secretaria de Educação encaminhou uma contra proposta, para que o contrato fosse aditivado até o final do ano e propôs o estudo de um aumento das linhas que estão com o valor muito baixo, para que tenham uma recomposição financeira. “Algumas linhas estão com um valor muito abaixo, e propusemos estudar uma correção para essas linhas específicas, que são em torno de 20, mas a cooperativa não aceitou a proposta”, frisou Schavaren.

Com a paralisação, a prefeitura iniciou a contratação de forma emergencial de empresas que darão continuidade ao transporte escolar. A licitação terá validade até o final do ano. Qualquer empresa que esteja regular junto ao município e que apresente documentação, que atenda aos requisitos da licitação, pode participar do processo, inclusive a própria Pitranscopi.

Comentários