Árbitra pede justiça após ser agredida em partida de futsal

Árbitra sofre ferimento profundo na testa. Por: Divulgação

Árbitra sofre ferimento profundo na testa

Fonte: Divulgação

A árbitra Leiliane Lacerda Sato, 34 anos, que reside em Lunardelli, e é filiada à Federação Paranaense de Futsal pela Associação de Árbitros do Vale do Ivaí (Assovi), e integrante do quadro de árbitros da Escola do Esporte, que foi agredida esta semana pelo atleta Maycon Pereira, 33 anos, durante uma partida do Campeonato Municipal de Futsal em Califórnia, conversou com o Paraná Centro sobre o episódio e confirmou que o agressor a atingiu com uma cabeçada na testa. O golpe causou um corte profundo acima da sobrancelha.

Ela foi levada primeiramente para o Posto Médico de Califórnia, e depois foi encaminhada para Apucarana para realizar exames, pois a pancada na cabeça lhe causou perda momentânea de consciência.

O agressor foi levado ao destacamento da corporação em Califórnia para elaboração de boletim de ocorrência. Na sequência, ele foi encaminhado à Delegacia de Marilândia do Sul (sede da Comarca), para os procedimentos legais.

Leiliane Sato se mostrou magoada e disse que foi a primeira vez que uma situação de violência no esporte acontece com ela. “Estou me sentindo perturbada e desacreditada, pois nunca nem meu pai ergueu a mão para me bater. É uma situação abominável e covarde desse bandido vestido de atleta, que me desferiu uma cabeçada propositalmente, mas acredito em Deus e que a justiça seja feita”, desabafou a oficial de arbitragem, agradecendo as pessoas que deixaram mensagens de solidariedade pelo ocorrido.

Tanto a Assovi, quanto a Escola do Esporte, emitiram nota de repúdio sobre o caso. “Estamos analisando a possibilidade de ingressar com uma ação judicial contra o agressor, para que essa situação não fique sem punição”, diz o comunicado da Assovi publicado no facebook.

Comentários