Trabalho com maracujá é tema de módulo de curso de fruticultura no Vale do Ivaí

Ilcio Schefer destaca experiências com a cultura do maracujá

Ilcio Schefer destaca experiências com a cultura do maracujá

Na semana passada, participantes do curso de Qualificação Profissional para o Desenvolvimento da Fruticultura, que vem sendo desenvolvido pela Emater, com o apoio de diversas instituições de ensino, entre elas o Instituto Federal do Paraná (IFPR), campus Ivaiporã, participaram de mais um módulo. Essa foi a quinta etapa do curso, que tratou especialmente sobre a cultura do maracujá. No dia 27 de abril, os participantes do curso conheceram a parte teórica da cultura, que foi realizada no campus do IFPR de Ivaiporã. No dia 28 de abril, os cursistas participaram da parte prática, que aconteceu no município de Ariranha do Ivaí.

Segundo a gerente regional da Emater, Vitória Hollzmann, esse curso está trabalhando a capacitação na área de 48 técnicos que atuam nas prefeituras e ou pela Emater, em vários municípios do Território Vale do Ivaí e do Território Paraná Centro. Ela comentou que alguns já têm a fruticultura como carro chefe e, em outros, esse é um processo que está apenas iniciando, e a qualificação vai ajudar tanto a resolver problemas nos locais onde a fruta já é uma realidade, como naqueles em que o processo vai se iniciar.

Os três primeiros módulos foram teóricos e os demais são específicos de cada cultura. Além do maracujá, os cursistas já trabalharam a cultura do morango e, nos próximos, serão da banana, uva e das frutas potenciais como laranja, goiaba e abacate.

O economista da Emater e coordenador do curso, Ovídio Barbosa, comentou que o conteúdo foi estruturado de forma que os treinandos percebessem a importância da fruticultura no desenvolvimento local e regional e que o Vale do Ivaí tem um potencial muito grande para ser desenvolver nesta área, especialmente levando em consideração que essa é uma região muito bem localizada, com solos férteis e clima favorável. “A forma como o curso foi organizado favorece tanto quem já atua na assistência técnica e pode melhorar as práticas, como para aqueles que vão iniciar o desenvolvimento da fruticultura em seu município”, destaca. Ele cita, por exemplo, que algumas frutas já estão consolidadas em determinadas regiões, como por exemplo, a banana, em Novo Itacolomi e Apucarana; e a goiaba, em Lidianópolis; além da uva, em Rosário do Ivaí; e que esse trabalho pode ser estendido para toda a região.

O professor Mateus Falheiros, do Instituto Federal do Paraná (IFPR), campus Ivaiporã, comentou que a metodologia adotada nesse curso, em termos de qualificação profissional, é inédita no Paraná, associando a teoria à prática, tendo como base para a capacitação desses técnicos as experiências que já estão sendo exitosas no Vale do Ivaí. “Com o maracujá, por exemplo, que é o tema desse módulo, um dos participantes do curso desenvolveu uma tecnologia e está repassando aos demais e isso aumentou a interação e a troca de experiências entre os profissionais e incentiva o desenvolvimento da fruticultura em outras cidades da região”, comentou o professor.

Além do incentivo à diversificação, o curso também tem sido importante para que as próprias prefeituras comecem a trabalhar legislações próprias, mobilização de recursos e articulação para fortalecimento de associações e cooperativas em torno da produção de frutas.

Comentários