Comunidade rural de Sabugueiro solicita apoio para combater roubos

Autoridades da segurança pública participam de reunião no Sabugueiro

Autoridades da segurança pública participam de reunião no Sabugueiro

Apos um homicídio e três roubos a mão armada à residência, em um período de menos de um ano, moradores do bairro rural do Sabugueiro em Ivaiporã, solicitaram às autoridades da segurança pública da região uma reunião para debater os problemas que foram registrados na comunidade.

O diácono e professor Lúcio Boing foi o porta-voz dos moradores na reunião com as autoridades do poder executivo, legislativo e da segurança pública, na reunião que foi realizada no salão da Sorip (Sociedade Rural Ipiranga), ocorrida na quinta-feira, dia 1 de março. Participaram do encontro, o prefeito de Ivaiporã, Miguel Amaral; o vice-prefeito Ilson Gagliano; os vereadores José Aparecido Perez (Zé do Bar) e Hélio Barros; o comandante da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar, major Laércio Sagati; o delegado de Polícia Civil de Ivaiporã, Gustavo Dante da Silva; e o presidente do Conselho Comunitário de Ivaiporã, Celso Gomes.

Especialmente os três roubos à mão armada foram registrados nos últimos três meses. Em um deles, os bandidos renderam os familiares, que ficaram algumas horas reféns dos bandidos, que procuravam por dinheiro e objetos de valor.

Antes mesmo da reunião, a Polícia Militar já começou a intensificar o policiamento na comunidade. Para isso, a viatura do município de Ariranha do Ivaí está sendo deslocada para o bairro, realizando rondas regulares. A equipe da Rotam também está sendo acionada para realizar operações na comunidade.

Lúcio Boing comentou que alguns vizinhos já criaram um grupo de whatsapp, onde eles procuram estar em constante comunicação, sempre que observarem algo estranho na comunidade ou movimentação de pessoas. “No entanto, temos moradores que moram mais isolados e que precisam de um apoio maior do poder público e de outras estratégias de segurança”, ressaltou.

O delegado de Ivaiporã, Gustavo Dante da Silva, comentou que 70% dos crimes de roubo e 100% dos crimes de homicídio são esclarecidos em Ivaiporã, contra uma média nacional de menos de 5% de esclarecimentos em roubos e 8% em homicídios. Ele destacou que o homicídio ocorrido em Sabugueiro, no ano passado, está com autoria conhecida e o inquérito já foi encaminhado ao Poder Judiciário, no entanto, o suspeito responde o processo em liberdade.

Sobre os roubos, ele comentou que os crimes estão sendo investigados, mas que a comunidade também pode contribuir com o trabalho da Polícia Civil, fornecendo informações sobre pessoas suspeitas e comportamentos estranhos na comunidade. Ele também comentou as dificuldades enfrentadas pela Polícia Civil, como baixo número de investigadores e policiais civis, além do grande número de detentos. A carceragem de Ivaiporã que tem capacidade para 32 pessoas, conta atualmente com 170 presos.

O major Laércio Sagati relatou as ações que já estão sendo realizadas para inibir novas ações de bandidos na comunidade; mas ele comentou que é importante que os moradores adotem algumas medidas de segurança, como a formação de grupo de whats entre vizinhos e também, se possível, a instalação de câmeras de monitoramento. Uma das iniciativas, inclusive, que deverá ser adotada pela comunidade é justamente a instalação de câmeras nas entradas das propriedades e com isso tentar inibir possíveis ações criminosas.

Representantes da comunidade também foram convidados para participar das reuniões do Conselho de Segurança.

Comentários