Dia Internacional da Mulher

Felizmente as mulheres estão cada vez mais sendo reconhecidas e, nos postos importantes do mundo, já não causa susto ver o nome de uma mulher. Eu, que nasci em 1932, quando o presidente Getúlio Vargas reconheceu e tornou lei o direito das mulheres votarem, fico feliz. Sempre é bom dividir responsabilidades e tornar o peso menor para os dois lados.

Dia 9, no Salão da Santíssima, teremos uma enorme festa em homenagem às mulheres; vocês que ouvem rádio devem ter tido todas as informações pela diretora da Cultura, Amanda Amaral, hoje, na Rádio Esperança, ter falado sobre o programa em seus mínimos detalhes.

Iremos todas prestigiar, ou melhor, receber cumprimentos. Seremos mulheres de todos os cantos e de todas as idades que, juntas ouviremos palestra, receberemos presente e, principalmente, ficaremos um dia sem trabalhar.

Com quem deixar as crianças, as criações, a casa etc. e tal? Com o marido, é claro, que não se furtará a homenagear a companheira, dando-lhe a chance de sair de casa, para ouvir e depois contar o que ouviu.

Há muitos anos, eu estava em Campo Grande, para inaugurar um Clube da Melhor Idade, coisa que detesto, e antes de começar a falar pedi ao microfone que as mulheres que ali estavam, deixassem na portaria o seu voto: Clube da Melhor Idade ou Clube da Maturidade.

Das 600 mulheres que ali estavam, duas votaram pela Melhor Idade, as demais pela Maturidade.

Melhor, por quê? Porque tomamos mais remédios, vamos mais aos médicos, andamos com mais dificuldade, temos problemas auditivos e perdemos muita da vaidade de outros tempos.

Maturidade, sim, quando somos consultadas por nossos filhos, netos, bisneto e também amigos e passamos a usar o muito que aprendemos na vida para ajudar a quem nos procura.

Maturidade sim, porque ainda gostamos de cantar e de dançar e quando a chance aparece, não a perdemos. Maturidade porque sabemos exatamente dos nossos limites e vamos caminhando pela vida, com a saúde que temos e a vontade de viver para aproveitar a nossa família.

Nada de Melhor Idade, que de fato era quando tínhamos 18 anos e éramos disputadas pelos rapazes de nossa idade. Maturidade, sim, porque temos memória para contar histórias e rever ex-alunos com a maior alegria.

Por isso, hoje, um abraço a todas vocês que vão receber uma festa maravilhosa, porque fazem parte das mulheres que já chegou ou ainda vai chegar à maturidade.

Abraços para todas, e até quarta-feira, se Deus quiser.

Comentários