Polícia Civil e SOE realizam Operação Bate Grade e evitam tentativa de fuga na delegacia de Ivaiporã

Celulares, carregadores e brocas são localizados dentro da carceragem. Por: Antonello Nadal

Celulares, carregadores e brocas são localizados dentro da carceragem

Fonte: Antonello Nadal

Atendendo a um pedido do delegado Gustavo Dante, o grupo da Seção de Operações Especiais (SOE) do Departamento de Execução Penal (Depen) da região de Londrina, esteve na 54ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Ivaiporã, onde realizou, junto com agentes penitenciários, inspeção no interior do setor de carceragem da Delegacia de Polícia do município. Do local foram retirados celulares, carregadores, brocas e outros instrumentos que poderiam ser utilizados em uma eventual fuga de presos.

Agente inspeciona carceragem. Por: Antonello Nadal

Agente inspeciona carceragem

Fonte: Antonello Nadal

O delegado Gustavo Dante informou que a Operação Bate Grade é uma medida preventiva, que serve para retirada de algumas ferramentas extraídas da parede da carceragem, que podem servir para cavar um túnel. “O objetivo da ação é evitar uma tentativa de fuga, porque entendemos que com a proximidade do carnaval aumenta a expectativa de fuga dos presos, por isso, estamos alerta e acionamos o SOE para fazer um pente fino minucioso na carceragem, para localizar esse tipo de instrumento”, explicou o delegado, lembrando que no último bate grade foram tapados os buracos da carceragem.

Gustavo Dante disse que não descarta um novo bate grade na sexta-feira, 9 de fevereiro, visando coibir uma eventual fuga durante o feriado prolongado de carnaval.

Carceragem conta com mais de 150 presos, em espaço destinado para 40. Por: Antonello Nadal

Carceragem conta com mais de 150 presos, em espaço destinado para 40

Fonte: Antonello Nadal

A insegurança na cadeia pública de Ivaiporã preocupa o delegado, que ressaltou que a ação do Ministério Público foi cassada pelo Tribunal de Justiça. “A mídia já noticiou amplamente a situação da cadeia de Ivaiporã, nós estamos fazendo o possível, mas temos medo que aconteça uma tragédia pelas condições precárias da cadeia, que atualmente conta com 155 presos na unidade, que tem vaga para 40.

Representando o Conselho Comunitário de Segurança de Ivaiporã (Conseg), Celso Gomes cobrou providências das autoridades estaduais. “A delegacia de Ivaiporã não oferece condições de segurança para os funcionários; são diversas tentativas de fugas durante o ano. O secretário de Segurança Pública do Estado nos garantiu que faria uma avaliação da carceragem de Ivaiporã, mas até o momento não nos deu resposta. A sensação é de total insegurança para todos”, comentou Celso Gomes, lembrando que o material para a reforma do piso da carceragem está garantido, mas o Conseg aguarda a transferência de presos condenados para iniciar o trabalho.

Celso Gomes e o delegado Gustavo Dante mostram alguns objetos recolhidos na operação. Por: Antonello Nadal

Celso Gomes e o delegado Gustavo Dante mostram alguns objetos recolhidos na operação

Fonte: Antonello Nadal

Comentários