Pagamento de aposentados pode inviabilizar repasse de recursos para hospital

José Veres – presidente da Câmara de Vereadores de Pitanga

José Veres – presidente da Câmara de Vereadores de Pitanga

O presidente da Câmara de Vereadores de Pitanga, José Veres, informou, na semana passada, que dificilmente o legislativo municipal conseguirá realizar o repasse de recursos para a manutenção do Hospital São Vicente de Paulo, como ocorreu em 2017. No ano passado, houve um acordo com a prefeitura, que parte dos recursos que a Câmara teria direito fosse repasse diretamente à instituição hospitalar. No final do ano, o total repassado chegou a R$ 360 mil.

Esse ano, no entanto, os problemas que o município tem enfrentado com seu fundo próprio de previdência têm feito com que a prefeitura tenha que dispor de recursos livres para o pagamento dos aposentados. A Câmara de Vereadores também se enquadra nessa situação e a previsão é que deverão ser gastos, no pagamento dos inativos do legislativo, aproximadamente, R$ 500 mil. Já em 2017, foram gastos R$ 140 mil com esse pagamento. “Essa é uma situação complicada, pois não vamos conseguir fazer esses repasses para o hospital, pelo menos com as sobras da Câmara; a própria prefeitura vai ter que colocar R$ 6 milhões para o pagamento de seus aposentados”, disse José Veres.

Outros investimentos

Ele lembrou que, além do repasse ao hospital, a Câmara de Pitanga ainda devolveu no final do ano R$ 85 mil para o município e conseguiu realizar investimentos como a compra de um veículo novo para o legislativo e a modernização dos equipamentos de informática. “Essa economia foi possível com a redução na liberação de diárias e também no controle austero dos gastos”, frisou o presidente da Câmara.

Comentários