Pitanga consegue superávit de quase R$ 16 milhões em 2017

Imagem da notícia.

Uma das principais metas da gestão do prefeito Maicol Callegari Barbosa é gerir os gastos públicos com economia. Para isso, uma série de medidas foi tomada na atual gestão, especialmente nos processos de licitação, para administrar os recursos públicos com seriedade e austeridade. Ao final do ano de 2017, a gestão contabiliza um superávit de quase R$ 16 milhões, que começam a ser reinvestidos no município a partir de 2018. “Procuramos, de todas as formas, gerar economia para o município, sem afetar as funções básicas da prefeitura, sendo que, ao contrário, tivemos investimentos recordes na saúde, educação e na secretaria do Interior”, comentou o prefeito.

Ele ressaltou que, há anos, o município encontra dificuldades para conseguir realizar investimentos e, agora, a ideia é investir na infraestrutura de Pitanga, tornando-o mais atraente para futuros investidores e melhorando a qualidade de vida da população. “Temos projetos para investimentos no parque industrial e também na pavimentação de praticamente toda a área urbana, melhorando a qualidade de vida das pessoas”, comentou.

O prefeito também informou que pretende investir na área comercial de Pitanga, com uma infraestrutura diferenciada, visando estimular o comércio. “Já para 2018 iniciamos uma série de investimentos nos setores de saúde e na educação e grande parte disso acontecerá com recursos próprios do município. Vamos reestruturar toda a cidade, começando agora e acelerando em 2019”, comentou Maicol Barbosa.

Fundo Próprio de Previdência

Apesar do superávit considerável, parte desse dinheiro já tem destinação certa em 2018. R$ 6,5 milhões serão direcionados para o Fundo Próprio de Previdência de Pitanga, para o pagamento de aposentados e pensionistas. Já em 2017, o município teve que colocar R$ 4 milhões de recursos livres para cobrir o rombo que existe no fundo. “Isso é muito dinheiro, com ele, poderíamos, por exemplo, pavimentar todo o bairro da Pitanguinha”, comenta o prefeito de Pitanga.

Maicol afirma que essa é atualmente a maior preocupação da gestão e espera que, em 2018, seja encontrada uma solução para esse problema. Um censo previdenciário está sendo realizado para mostrar a real situação dos aposentados do regime próprio. Além disso, a prefeitura está fazendo novos cálculos tutoriais, que serão apresentados junto à Caixa, para tentar reduzir o valor do aporte mensal que o município está colocando para cobrir os custos com o pagamento da Previdência. “Conseguimos administrar bem os recursos para que, nesse ano, possamos pensar com calma na solução mais adequada e com isso resolver o problema da Previdência”, disse o prefeito de Pitanga.

Comentários