Capacitação rural é foco do Sindicato Rural de Pitanga

Além da teoria cursos também ensinam a prática a participantes

Além da teoria cursos também ensinam a prática a participantes

Possibilitar a capacitação do produtor rural tem sido uma das prioridades do trabalho do Sindicato Rural de Pitanga, que mantém um convênio com o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). O ano de 2017 foi muito produtivo para a capacitação dos agricultores. Foram 128 cursos realizados, com quase de 3,6 mil horas de capacitação e com quase 1,5 mil participantes. O convênio do Senar também tem a parceria com as entidades municipais, como prefeituras, departamentos municipais de Agricultura, Assistência Social e Educação e com os escritórios locais do Instituto Emater. Nesse aspecto, destaque para o município de Nova Tebas que, através das parcerias, conseguiu realizar 50 cursos, com mais de 1,3 mil horas de capacitação e treinou mais de 530 pessoas.

Os cursos ainda foram realizados nos municípios de Pitanga, Santa Maria do Oeste, Mato Rico e Boa Ventura do São Roque. O mobilizador do Senar em Pitanga, Elias Harmuth Júnior, destacou que, nesse ano, o número de cursos realizados foi um pouco menor que em relação a 2016, mas a carga horária acabou sendo maior. Ele explicou que o Senar fez uma adequação na carga horária de alguns cursos, que tinham 16 ou 24 horas, e passaram a contar com 40 horas semanais. “Todos os cursos ofertados foram presenciais e aconteceram nas comunidades onde residem os trabalhadores e isso demonstra como o Senar tem levado essa qualificação em todo o Paraná”, disse o mobilizador.

Ele ressaltou a importância das parcerias com os municípios e também com outras instituições. “O Sindicato Rural de Pitanga quer formar parceria com todos os municípios, independente da orientação política do prefeito, pois o objetivo é qualificar o produtor rural, sua família e seus empregados”, comentou Elias Júnior.

Para o ano de 2018, o planejamento da entidade sindical é promover entre 200 a 230 cursos de qualificação.

O presidente do Sindicato Rural de Pitanga, Luiz Carlos Zampier, comentou que um dos focos do trabalho do Sindicato Rural de Pitanga é qualificar o produtor e que isso faz parte de um dos pilares do planejamento da entidade sindical. “Procuramos dar todas as condições para que o nosso mobilizador faça o maior número possível de cursos, que realmente profissionalizem o agricultor”, comentou.

Ele ressaltou também a qualidade dos cursos ofertados pelo Senar, principalmente pelo nível de qualificação dos instrutores e profissionais. “Vai continuar sendo uma das nossas prioridades essa profissionalização do agricultor”, comentou.

Para o presidente do Sindicato Rural de Pitanga, o produtor não consegue interferir nos preços dos produtos e nas condições climáticas, mas a forma de conduzir sua lavoura ou rebanho é que pode fazer a diferença para ter um bom resultado.

Comentários