Emater realiza oficina sobre Saneamento Básico Rural

Agricultores participam de oficina em Nova Tebas

Agricultores participam de oficina em Nova Tebas

A Emater de Nova Tebas realizou, no dia 20 de novembro, uma oficina sobre Saneamento Básico Rural por Zona de Raízes. Trata-se de uma tecnologia simples e barata que busca minimizar os danos ambientais causados pela destinação incorreta das águas usadas nas propriedades rurais.

O evento organizado pelo Instituto Emater teve como público alvo os técnicos da região de Ivaiporã, que atuam no programa Família Paranaense, sendo da Emater e das prefeituras. Após o primeiro contato com a metodologia em sala de aula, os participantes executaram uma prática no sítio Boa Esperança, na Comunidade de Barreirinho do Meio, de propriedade do agricultor Francisco Cheremeta.

As atividades iniciaram com a uma explanação técnica feita pelo técnico Marcos Antonio de Freitas, que explicou como funciona o tratamento de efluentes domésticos. Após o almoço, os participantes se dirigiram até a propriedade onde iniciaram os trabalhos práticos com a Estação de Tratamentos de Efluentes Domésticos por meio de Zona de Raízes (ETFZR). A estação de tratamento de efluentes por zona de raízes é uma combinação de diferentes técnicas: forma física, biológica e por meio de evapotranspiração, sendo uma maneira simples de ser montada, eficiente e atendendo a legislação ambiental.

Maria Helena Valeria, assistente social conveniada de Emater no município de Mato Rico, ficou bastante empolgada com essa técnica e disse que vai colocar em prática com as famílias que atende, pois julga ser um sistema de baixo custo e que ajuda meio ambiente, assim melhorará a qualidade de vida das pessoas. “Uma técnica aplicável na propriedade rural e com custos reduzidos”, segundo a engenheira Florestal, Viviam Rank Kerninski, da Emater da cidade de Pitanga.

O agricultor anfitrião disse que, por incentivo da Emater, ele se interessou em construir esse sistema de tratamento em sua residência. “Minha casa fica em um lugar de terreno pouco profundo, não viabilizando sistema de fossa comum, pois o lençol freático é muito raso. Assim, terei mais segurança, já que a outra a fossa que tinha ficava enchendo, tendo de ser esvaziada de tempos em tempos”, disse.

Conforme afirma o técnico, neste sistema são separados as “águas cinzas” (do chuveiro, da caixa de gordura, pias e tanque de lavar roupas), que são encaminhadas diretamente para a filtragem, enquanto as águas negras (vaso sanitário) devem passar pela fossa séptica para fermentação. Dessa forma, elas se encontram em uma caixa de passagem, para depois entrar no sistema de filtragem, onde são colocadas plantas macrófitas (plantas aquáticas), que absorvem grande parte da carga orgânica do efluente, estabelecendo relações com outros organismos como fungos, algas e bactérias, retendo possíveis tóxicos ambientais e até mesmo metais pesados.

Comentários