CIS busca zerar fila de atendimento de Oftalmologia

Pacientes de toda a região aguardam atendimento em Nova Tebas. Por: Osvaldo Rodashi

Pacientes de toda a região aguardam atendimento em Nova Tebas

Fonte: Osvaldo Rodashi

O Consórcio Intermunicipal de Saúde (CIS) da 22ª Regional de Saúde de Ivaiporã deu início no sábado, dia 11 de novembro, a um mutirão para zerar a fila de consultas oftalmológicas, nos 16 municípios jurisdicionados ao órgão. O consórcio celebrou uma parceria com o Hospital de Olhos, de Foz do Iguaçu, para atender a demanda da região nessa especialidade. O presidente do Cis e prefeito de Nova Tebas, Clodoaldo Fernandes dos Santos, destacou que, durante os 10 dias de atendimento, o objetivo é realizar cerca de 1,5 mil consultas oftalmológicas e atender todas as pessoas que aguardam na fila do SUS (Sistema Único de Saúde). Os atendimentos serão feitos no Hospital Municipal Antônio Pietrobom de Nova Tebas, que foi recentemente reformado. Para atender a demanda, está sendo realizada uma escala de atendimentos, para facilitar o deslocamento dos pacientes.

O presidente do CIS comentou que foi realizado um levantamento no início do ano e foram identificados os principais gargalos com relação ao atendimento de especialidades na região. “O que chamou a nossa atenção, entre outras coisas, foi a fila de espera de 1,5 mil pessoas para consultas de oftalmologia”, frisou Santos.

Após uma busca nos profissionais da região, foi detectado que não seria possível zerar essa fila e, com isso, o Consórcio credenciou mais alguns exames e procedimentos e buscou um prestador de serviço, no Paraná, para vir à região e realizar esses procedimentos e conseguiu essa parceria com o Hospital de Olhos de Foz do Iguaçu.

Todos os pacientes que aguardam o atendimento passarão pela triagem e receberão um diagnóstico, seja para a confecção de óculos, medicação, tratamento, cirurgia ou exames mais elaborados. Clodoaldo Santos também explicou que a escolha pelo Hospital de Nova Tebas para receber esses atendimentos, se deve ao fato que não haveria tempo hábil de buscar a estrutura em outro hospital e também pelo trabalho de microrregionalização do atendimento da saúde. “Nada impede que outras etapas desse atendimento, como uma cirurgia, por exemplo, possam ser feitas em outros municípios”, comentou o presidente. A ideia é que não haja nenhum custo a mais para os municípios nesse momento. “É um ato de muita coragem do consórcio em zerar essa fila de Oftalmologia na região, temos parceiros importantes, como os profissionais de Ivaiporã e o próprio Oftalon de Londrina, mas percebemos que, mesmo com essas parcerias, não estamos conseguindo diminuir a espera por esse atendimento, já que a fila por atendimento do SUS é muito grande”, comentou.

Ortopedia

Clodoaldo Santos também comentou que o sistema de mutirão também pode ser usado para outros tipos de atendimentos de especialidades na região e que a instituição estuda um projeto ambicioso que é, por exemplo, zerar a fila de consultas com ortopedistas. “Já conversamos com os prefeitos e secretários de Saúde e vamos tentar trazer, para a região, profissionais para zerar a fila de procedimentos em ortopedia”, disse o presidente do Cis.