Médica do posto central de saúde de Pitanga relata ameaças

Simone Barros sofre ameaça pelo bom atendimento à população. Por: Aldinei Andreis

Simone Barros sofre ameaça pelo bom atendimento à população

Fonte: Aldinei Andreis

A médica Simone Leine Pereira Barros, que atende no posto de saúde central de Pitanga, passou por uma situação bastante complicada na quarta-feira, dia 27 de setembro, quando retornava do almoço para o expediente na unidade de saúde. Ela relata que, por volta das 14h45, ao estacionar seu veículo na rua lateral ao estabelecimento, foi abordada por um homem bem vestido, cabelo preto, aparentando 35 anos, magro com estatura de aproximadamente 1,75, que pediu a atenção da médica. Ao se aproximar, o homem começou a ameaçar a médica dizendo que ela não ficaria em Pitanga, que teria que sair da cidade. Sem entender a ameaça, a médica questionou o motivo e o homem teria afirmado: “O auge da saúde no município está sendo você e isso não pode acontecer durante três anos e três meses, você não pode tratar bem os pacientes, porque o objetivo desse mandato era a saúde e, com você aqui, o mandato atingiu o objetivo; você não pode ficar aqui”.

A médica estava sendo ameaçada por prestar um bom atendimento à população. A situação ocorreu poucas horas depois de um relatório da saúde ter sido apresentado em audiência pública, onde constou o aumento no número de consultas realizadas na atual gestão.

Simone Barros, por exemplo, trabalha por 12 horas no posto, com atendimento de demanda livre, das 7h00 às 19h00. “Eu argumentei ao homem que não estava fazendo nada por política, apenas cumprindo a minha função, agindo com profissionalismo, pois amo o que faço e trato bem meus pacientes”, relata a profissional de saúde.

Na sequência, o homem disse que ou ela sairia por bem ou sairiam com ela do município, pois o modo com que ela atende os pacientes favoreceria a atual administração, prejudicando outras partes. Nisso, ele virou as costas e saiu em uma caminhonete, que médica não conseguiu memorizar as placas. “Assustei-me e entrei em estado de choque, procurei meu esposo, que é médico, e a secretária de Saúde para relatar o ocorrido”, continua. Mesmo em estado de choque, Simone Barros cumpriu seu horário de atendimento na parte da tarde e, por volta das 19h00, procurou o prefeito Maicol Barbosa para relatar o ocorrido.

Na sequência, ela registrou boletim de ocorrência, e a Polícia Militar e o Detran foram acionados para tentar identificar o veículo e, consequentemente, o homem que fez as ameaças. “É difícil aceitar que um ser humano tenha a capacidade de abordar com tom ameaçador uma pessoa que está fazendo o bem para população”, comenta a médica.

Ela acredita que foi alvo da ameaça, justamente por cumprir suas 12 horas de trabalho no posto, e pela forma com que atende os pacientes, não apenas passando receitas, mas fazendo exames e procurando investigar as causas das doenças. “Eu gosto do que faço e não consigo tratar mal ou deixar de atender ninguém”, relata.

Simone Barros garante que não vai deixar o município de Pitanga e não vai mudar sua maneira de atender a população.

O prefeito de Pitanga, Maicol Barbosa, garantiu que o município está dando todo o respaldo possível à profissional de saúde e disse que está apoiando o trabalho de investigação para chegar ao autor da ameaça e possíveis mandantes, para tomar as providências necessárias. Por enquanto, Simone Barros está sendo monitorada pela Polícia Militar, para que o fato não ocorra novamente. “Ela é uma pessoa que tem feito um ótimo trabalho, além de ser uma excelente profissional e não tem medido esforços para atender bem as pessoas”, disse o prefeito.

Comentários