As raposas e as uvas

“Uma raposa que vinha pela estrada encontrou uma parreira com uvas madurinhas. Passou horas pulando tentando pegá-las, mas sem sucesso algum… Saiu murmurando, dizendo que não as queria mesmo, porque estavam verdes. Quando já estava indo, um pouco mais à frente, escutou um barulho como se alguma coisa tivesse caído no chão… voltou correndo pensando ser as uvas, mas quando chegou lá, para sua decepção, era apenas uma folha que havia caído da parreira. A raposa decepcionada virou as costas e foi-se embora de novo como um ar importante”.

Moral:

Aqueles que são incapazes de atingir uma meta ou objetivo, tendem a depreciá-la, para diminuir o peso do seu fracasso ou insucesso.

Pessoas que fracassam e não se esforçam o suficiente para alcançar algo que elas querem muito, começam a criticar aquilo que elas buscavam. Começam a falar que não valia pena, ou que ela prefere dar a chance para outro, ou que era impossível de conseguir. Sendo assim, quando a pessoa dá essas respostas ela só quer tirar o peso do fracasso de seus ombros e as usa como desculpa.

Essa é uma fábula famosa atribuída a Esopo e que foi reescrita por Jean de LaFontaine. Ela ensina muito para nós a respeito de pessoas que facilmente desprezam aquilo que não podem ter.

Comentários